terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Digital Spray

            Digital Spray foi o tema que escolhi pra fazer o trabalho da professora Roberta¹, a tematica era Arte Multimidia!
            Conheci o DS em uma rave que fui em dezembro do ano passado (Tribe 8 anos), a partir daí surgiu a curiosidade de saber como era feito aqueles telões  encantadores, fui atrás e descobri essa belezinha!
Fiquem com a matéria e o link do nosso site do trabalho de historia das artes, tem muita coisa interessante e vale a pena ver! :) Multi Arte! Arte Multimidia
___________________________________________________________

              A técnica do Digital Spray, que une grafite e projeções digitais, surgiu em 2004 a partir da ideia de dois amigos que resolveram unir seus talentos e visões artísticas. Spray, marcador e stencil é o material usado por Rafael (foto), que faz as mais fantásticas criações em um fundo branco e Charlie dá vida à obra com as projeções que parecem pulsar. Cada projeção é feita para um desenho especifico, a mesma obra pode se transformar em vários cenários, onde as cores fazem uma dança com a música e vão preenchendo as pinturas.

              Em 2005 tiveram seu projeto exposto na Funart (Fundação Nacional de Arte – Brasil), na primeira edição do evento Re.Impressões, a mistura de várias linguagens: grafite, projeções, poesia e música tornou a obra multidimensional. As pinturas foram feitas nos galpões e nas paredes do salão expositivo.

               Na edição do Nokia Trends 2006, o DS também esteve presente. Na área chamada Connecting Street, teve um telão de 12×3m onde os grafiteiros Highraff, Kboco
e Nunca soltaram a imaginação com desenhos feitos especialmente para o Nokia Trends. O telão ganhou vida com as projeções do VJ Charlie, o que foi à atração de destaque do evento.

               Em 2007 o DS teve participação na festa Art & Cash que teve um vídeo cenográfico para DJ.

               Mas o ano das grandes apresentações foi 2008, começando em fevereiro com a festa Ultra Groove em Búzios, o DS instalou um telão de 8x4m na pista de dança e as cores vibrantes ganharam mais beleza com a ajuda dos dois projetores utilizados na apresentação. O Boom Festival (Portugal) e a Tribe 8 anos também abriram espaço para a dupla. Na Tribe, trabalharam com a equipe Zero Gravity e produziram os três telões da festa.

               Se apresentaram também no MIS (Museu de Imagem e Som de São Paulo), no I/legítimo Dentro e Fora do Circuito, o evento destacou trabalhos que usam a crítica, irreverência ou a ironia para tratar dos mecanismos de legitimação institucional; projetos que não estão inseridos no circuito dos museus e galerias. O DS se apresentou com mais 42 artistas de nove países, a performance aconteceu de 19/10 de 2008 a 11/01 de 2009.

               Para saber mais sobre o Digital Spray acessem:  www.digitalspray.com.br                   
__________________________________________________________
¹ - Professora Roberta - Ministra as aulas de História das Artes na PUC Campinas.

4 comentários:

Connectivity Minds disse...

Ae Pathy, uma grande força pra esse tipo de cultura. Além de ser nova, não é muito bem valorizada e desconhecida.
Acredito que será de grande valor, além de fazer a props dos produtores com os quais foram intrevistados, faz a sua de jornalismo.
Parabéns, ótimo trabalho. Interessante ;)

Pathy Lopes disse...

No meu jornalismo sempre que puder vou mostrar o que realmente merece destaque e tentar mudar a visão pre-conceituosa das pessoas.
Obrigada! :)

FunGu disse...

Nice! Não conhecia ainda esse tipo de projeção. Fica bem bonito, vivo.

Parabéns pela matéria Millie rs

Pathy Lopes disse...

Nossa Gu, ao vivo e de perto é muito interessante.

obg *-*